>
Se subo na tua canoinha,
como me pedes, faço bobagens.
Ah Meu bem...
612 notes
via · source
reblog this
O moço quer me fazer feliz. E acabar com a maravilhosa sensação de ser miserável. E tirar de mim a única coisa que sei fazer direito nessa vida que é sofrer. Anos de aprimoramento e ele quer mudar todo o esquema. O moço quer me fazer feliz. Veja se pode.
Tati Bernardi. 
6,366 notes
via · source
reblog this
Peço tanto a Deus para te esquecer, mas só de pedir me lembro.
Vanessa da Mata.  
266 notes
via · source
reblog this
Mindy apertou seu corpo contra o meu e me beijou. Foi um longo beijo. Meu pau subiu. Eu andava tomando um montão de vitamina E nos últimos tempos. Eu tinha ideias próprias sobre sexo. Era um tarado obcecado e me masturbava todo o tempo. Eu transava com Lydia, depois voltava pra casa de manhã e me masturbava. A ideia de sexo como algo proibido me excitava pra além de qualquer entendimento. Sexo era um animal tentando se impor ao outro. Nas punhetas, eu sentia que gozava na cara de todas as coisas decentes, branco esperma pingando sobre as cabeças e almas dos meus pais mortos. Se eu tivesse nascido mulher seria com certeza uma prostituta. Mas, como nasci homem, batalhava as mulheres, sem trégua; quanto mais fuleiras melhor. E, no entanto, as mulheres, as boas, me enchiam de medo, talvez por quererem a minha alma; e o resto que sobrara da minha eu queria manter guardado. Em princípio, eu batalhava mulheres fuleiras e prostitutas, porque eram mais intensas e mais barras-pesadas, e elas não faziam exigências pessoais. Nada se perdia quando elas partiam. Porém, ao mesmo tempo, eu tinha inclinação por mulheres decentes, as boas mulheres, a despeito do preço elevado que se tinha de pagar. De um jeito ou de outro, eu estava perdido. Um cara forte desistiria de ambas. Eu não era um cara forte. Então, continuava o combate com as mulheres, com a ideia de mulher.
Charles Bukowski. 
2,566 notes
via · source
reblog this
Ás vezes quando a vida te rouba, você precisa roubar de volta.
A menina que roubava livros. 
4,246 notes
via · source
reblog this
Eu tô sempre esperançosa que melhore, que flua, que aconteça. Mas uma hora a gente duvida da fé. Uma hora a gente cansa.
Clarissa Corrêa
115,999 notes
via · source
reblog this
Ela sonhava com o paraíso toda vez que fechava os olhos.
 Coldplay.    
234 notes
via · source
reblog this
Eu acho tão lindo o jeito que você ri do mundo, o modo como a bondade sempre prevaleceu nesse seu coração. Você foi uma das coisas mais bonita que já passou por essa minha vida e mesmo você tendo escolhido ir, te guardo aqui. Te guardo, te cuido e te sinto. Se me concedessem um único desejo, eu te faria eterno, eu faria eterno todos os seus beijos de bom dia, teu abraço forte, o seu olhar amoroso e esse seu coração. Você me deu fé. Fico me perguntando se alguém nesse mundo acreditaria em mim como você acreditou e o que eu faria eu faria se você não me dissesse com os olhos transbordando sinceridade que sempre estaria comigo. Eu adoro o seu jeito, adoro ouvir a sua voz, adoro o modo como você tenta me proteger e briga comigo quando estou errada. É que você é do tipo de pessoa que enriquece a gente, que vale a pena gritar pro mundo todo do amor que se sente. Você é a minha moleta da sorte
Psicografou   
33,150 notes
via · source
reblog this
Chorar por dentro é um dos piores choros.
Tati Bernardi.
10,204 notes
via · source
reblog this
Se você não tivesse ido embora, eu não teria descoberto como as coisas podem ser boas, muito boas, até mesmo melhores, sem você. E eu descobri também que superar alguém não é algo que você faz acontecer se quiser, é algo que acontece com você, do nada, quando você já nem tenta mais esquecer. Então, obrigado.
Vinícius Kretek.     
9,441 notes
via · source
reblog this
É você que eu sempre busco com minha gargalhada alta, com a minha perdição humana em festejar porque é preciso festejar, com a minha solidão cansada de se enganar. Não aguento mais os mesmos papos, os mesmos cheiros, as mesmas gírias, os mesmos erros, a volta por cima, o salto alto, o queixo empinado, o peito projetado pra frente. Não aguento mais fingir com toda a força do mundo que tudo bem festejar sem saber quem é você.
Tati Bernardi. 
1,215 notes
via · source
reblog this
Eu sempre pareci boa demais para lidar com os problemas dos outros. A melhor pessoa para poder dar os melhores conselhos. E por causa disso nunca mostrei o meu ponto fraco. E eu garanto, não foi por falta de oportunidade. Eu sempre fui muito verdadeira com o que eu sentia, e talvez por causa disso, as pessoas só olhavam para o que interessasse e isso não incluía os meus problemas, muito menos os meus defeitos. Ninguém reparava porque nunca me olharam com os olhos da verdade. Nunca repararam que eu também sofria e que por isso muitas vezes me calava. Me calava porque descobri que o silêncio era o meu melhor ouvinte e que não existia ninguém no mundo para me fazer mudar de ideia. Eu conversava com meninas 10 anos mais novas que eu. Olho pro meu passado quando me via chorando por não ter ninguém para me entender ou até mesmo para me ouvir e percebo que nossas vidas não são tão diferentes, e que nem mesmo depois de tantos anos as coisas haviam mudado no mundo, principalmente no meu mundo. Digo palavras de conforto esperando que sirvam de ajuda quando na verdade no fundo no fundo, não funcionaria nada vindo de uma pessoa que diz que é para procurar ser feliz quando nem ela mesma sabe o caminho. Eu me sentia no dever de ajudar nos piores momentos da vida de cada um, porque eu sei o quanto é doloroso não ter um lugar para ancorar nos tempos de tempestade. O problema é que eles me viam como a única pessoa que poderia salva-los. Mas na verdade, eles não perceberam que eu já estava afundando há muito tempo.
Restos de um naufrágio.  
1,121 notes
via · source
reblog this
Eu falo de várias mudanças, mais no final nada muda.
Oriente. 
7,407 notes
via · source
reblog this
Você ama quem não te ama, mas não ama quem te quer bem, se apaixona por quem gosta menos, não precisa de quem te precisa, quando ama, mora longe, e quem tá perto? Se esconde, quando grita, ninguém escuta, quando encontra, já é tarde, quando quer, sente medo, se não sente, te sufoca. Se tu chora, ninguém percebe, quando sorri, alguém chora, se é dia, chega a noite, mas quando se encontram… jamais se esquecem.
Sean Wilhelm. 
7 notes
reblog this
No primeiro dia você checa o telefone, a caixa de entrada, a campainha, todas essas coisas, a cada dois minutos. No dia seguinte, de cinco em cinco. Na terceira data, você passa a conferir tudo somente a cada meia-hora. Depois, vê que a campainha anunciar uma presença física era sonhar demais e desiste dela, porém continua ligando pra companhia telefônica pra saber se sua linha ainda está de pé. Uma semana depois e você está olhando seu e-mail apenas duas vezes ao dia, uma bem cedo e outra antes de deitar mentalmente cansado. Passado um mês inteiro e você se flagra que permaneceu todo esse tempo escorado na sua poltrona feito um pudim, lendo os jornais que escorregaram por baixo da porta por engano dos entregadores, assistindo a vídeos, bebendo cervejas e esperando a vida dar na mesma. A parte boa é que você se dá conta que sobreviveu, conseguiu se arrastar até o outro lado do pântano e nem foi tão difícil assim, algo impensável no início de tudo. E agora está pronto pra ir a qualquer lugar, sair com quem ainda quiser sair contigo.
Gabito Nunes.
1,279 notes
via · source
reblog this
Você faz a sua sorte.
Lost. 
THEME